segunda-feira, 20 de maio de 2013

Conheça a diferença entre maquiagem definitiva e micropigmentação

Para quem que gasta um bom tempo do dia ajeitando aquela falha na sobrancelha, realçando os olhos ou contornando os lábios, acordar com maquiagem seria um sonho. 


Se você já desejou muito uma maquiagem definitiva, mas não fez por medo de se arrepender depois, uma técnica chamada micropigmentação pode ser uma boa saída. "Esse procedimento é diferente do que se fazia anteriormente, que nada mais era do que uma tatuagem, perfurando uma camada mais profunda da pele. Na verdade, é uma maquiagem temporária", esclarece Eliane Rahy, especialista em Micropigmentação e Estética Funcional e proprietária da Estética Ipanema. 

O processo é indicado para quem tem falhas ou escassez de pelos nas sobrancelhas, lábios muito pequenos ou ausência de definição da linha labial. No caso dos olhos, para quem pretende deixá-los sempre contornados.
Por dentro da técnica
Existe também a dermopigmentação médica, utilizada em pessoas que sofrem de vitiligo e para corrigir imperfeições ou cicatrizes pós-cirúrgicas, como a reconstrução do complexo aréolo-mamilar, em mulheres que passaram pelo procedimento de mastectomia ou de mamoplastia. 


A aplicação leva, em média, de uma a três horas, dependendo do que for micropigmentar. De acordo com a esteticista, nos sete primeiros dias, há alguns cuidados importantes como não se expor ao sol, praia e piscina. Também é necessário hidratar o local com pomada de vaselina e não arrancar a casquinha em hipótese alguma.

A especialista recomenda que se faça um retoque entre 30 e 45 dias. "Durante a cicatrização alguma área pode não absorver tão bem o pigmento e ficar uma falha. Além disso, reforços devem ser feitos anualmente. Mas a micropigmentação pode durar até três anos, ainda que vá desbotando aos poucos", afirma Eliane.  
Pesquise antes de fazer
Uma preocupação recorrente de quem pensa em se submeter a maquiagens como essa é que ela pareça muito artificial. Eliane afirma que, infelizmente, isso é mais comum do que o desejado. Segundo a micropigmentadora, isso acontece principalmente por conta da má qualidade do material utilizado e da falta de competência do profissional. "As aberrações que vemos por aí são resultados dos procedimentos antigos, utilizados em tatuagem". 


Para sua saúde não correr riscos, verifique se o micropigmentador é habilitado e se o material e o local seguem as regras e os protocolos determinados pelos órgãos de vigilância sanitária."Quando optar por essa técnica, pesquise muito antes de passar pelo processo propriamente dito. Nunca escolha no impulso. Vá a vários locais, especule, faça perguntas, compare. Peça a cada profissional que te apresente o book do seu trabalho. Antes de tudo se identifique com ele e com o que tem para te oferecer", alerta a especialista.
Postar um comentário